power

Eu assisti • Power Rangers

Sem spoilers, pois isso não é Espilotríssimo.

Um mês de março lotado de possíveis blockbusters e Power Rangers se concretizou como um. Uma série que tem praticamente 24 anos, pessoas da minha idade e até mais velhas com toda certeza acompanharam boas temporadas dos mais diversos tipos de Power Rangers que existiram, o que dá uma bela abertura para criação de um universo cinemático, uma nova franquia no meio de tantos super-heróis e que também abusa e usa do sentimento de nostalgia daqueles que eram fãs na época e também querendo capturar mais de um público novo.

(mais…)

Leia Mais

ghost2

Eu assisti • A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell

Acredito que nessa resenha é muito interessante dar uma introdução ao original Ghost in the Shell ou Fantasma do Futuro, quando foi lançado em português seu primeiro longa-animado em 1995, mas anteriormente temos o mangá de 1989 (resenha aqui). Um resumo bem curto: temos o mangá que são em 3 volumes; temos os dois longa-animados que é o de 1995 e de 2004, logo depois saiu um novo longa sem qualquer ligação com os anteriores e por fim uma nova série de filmes de 2013 em diante que são mais 4 longa-animados, junto do anime de 2014 que são duas temporadas. Já para perceberem que temos muito plots e todos eles priorizando debates psicológicos e filosóficos, mesmo sendo várias versões de design da Major nessa nova geração de GitS. Então quem é fã da franquia, não deve ter expectativas de uma adaptação extremamente fiel, mas pensar como a Major na animação de 1995: “a rede é vasta e infinita”.

 

Sem spoilers, pois isso não é Espilotríssimo. (mais…)

Leia Mais

split

Eu assisti • Fragmentado

Gente, vocês não sabem como me deixam felizes com os comentários que apreciam os detalhes que escrevo em minhas resenhas e por possuir a imparcialidade nelas, pois bem, eu aprecio filmes como obras de arte, mas com estudos vemos muito mais além e eu quero vocês apreciem também as obras de forma completa, por isso dou detalhes até mesmo de história da arte, mas também apontando os acertos e defeitos do filme que acho deveras importante. Obrigada pelos comentários nas últimas resenhas!

Sem spoilers, pois isso não é Espilotríssimo.

O que esperar de um diretor que deu para nós a maioria dos suspenses que mais nos prendeu e que com aquele final que nos deixa de cabelo em pé e todos os pelos do corpo arrepiados? M. Night Shyamalan volta aos cinema como um filme que promete nos dar todas essas mesmas reações que seus principais filmes nos deu, como em O Sexto Sentido, Sinais, A Vila e Corpo Fechado. Seria Fragmentado sua volta no reinado nos Terror com Suspense? Será que esse filme seguirá a “Receita Shyamalan”, que é sempre nos dar uma surpresa sobre a trama? Logo eu entrei no cinema e pensei: não faço ideia do que esperar desse filme. (mais…)

Leia Mais

bela

Eu assisti • A Bela e a Fera

Sem spoilers, pois isso não é Espilotríssimo.

Como não ganhar dinheiro? Com certeza é deixando de fazer live action de qualquer animação ou de algum tipo de publicação impressa (não esquecendo dos remakes que surgem a cada semana), mas é claro, usando personagens que são completamente vendáveis, só de existir a ideia deles serem adaptados já se ganha dinheiro e isso é algo que está fazendo com os roteiros originais estejam durando menos nos cinemas. Como competir com uma produção que tem promessas de uma bilheteria gorda que usa a nostalgia e o marketing de vender princesas, guerreiros e heróis no meio de tantos horários? Não tem. A indústria cinematográfica virou apenas uma bilheteria gorda de histórias que já conhecemos e que funciona muito bem para os estúdios, e A Bela e a Fera é a prova disso. (mais…)

Leia Mais

cores

As mais belas paletas do cinema #1

Acredito que essa seja uma das partes que mais gosto em um filme: todo o trabalho conjunto da direção de arte/production design, profissionais que dentro dessa área trabalham em conjunto para desenvolver o visual que fora decidido para o filme, isso incluí também fotografia e cores. Para quem não sabe muito a diferença entre um Diretor de Arte e o Product Designer, basicamente o primeiro é o corpo do projeto e o segundo a mente, apesar de atualmente serem considerados a mesma coisa, que de certa forma, acho adequado.

Esse post é para enaltecer produções um tanto recentes que possuem um trabalho incrível de fotografia com uma paleta de cores de dar inveja e todas, claramente, com um sábio uso do cenário e com significados em cada tom usado em cena. O post será para apreciarmos um bom trabalho de filmes que são ótimos (alguns até Espilotríssimos).

(mais…)

Leia Mais