contador

Eu assisti • O Contador

Primeiramente, deixa eu falar que sinto muito pelo sumiço galera. Sei que tô devendo várias postagens e como essa semana acabei tendo mudanças de ritmo, fiquei um pouco perdida. Estou postando a resenha desse filme um tanto atrasada só para não deixar de postá-la também! Tem Ben Affleck!

Sem spoilers, pois isso não é Espilotríssimo.

Suspense é um dos gêneros que mais aprecio no mundo cinematográfico e O Contador parecia que iria entregar tudo de melhor que um suspense poderia entregar, porém isso se quebra na metade do filme em que vimos ele se transformar em pura ação, mudando totalmente toda proposta que nos fora apresentada, o que é engraçado, pois todo filme é construído (seu marketing também) tentando se afastar do clichês dos filmes de ação que estão estrando toda semana, nos trazendo apenas explosões e tiros.  Devo dizer que Ben Affleck está de parabéns por sua interpretação e a construção de seu personagem, ele parece de fato um autista e a forma que a narrativa é mostrada entre presente e passado, você consegue ver todas as coisas que moldaram o personagem adulto.

The AccountantO contraste de termos uma criança autista que enfrenta diversas dificuldade e é convidada para viver numa casa amistosa com outras crianças especiais, junto da recusa de um pai que diz “o mundo não é uma casa amistosa” com o homem que é Ben Affleck em seu personagem adulto, Christian Wolff,  move grande parte da narrativa e trama até metade do filme, em que vemos um Contador extremamente inteligente que possui os mais diversos clientes, sendo o preferidos de grandes empresários e até de mafiosos. Logo ficamos, quem é esse homem? Construíram um homem extremamente inteligente que se transformou em um super-herói sem poderes e uniforme depois da metade do filme com tanta ação e perícia em armas e luta.   Não gostei da forma que eles forçaram essa mudança brusca de ritmo na narrativa, o mais engraçado é que o filme além de ter evoluído de suspense para ação, toda trama e narrativa parece que foi resumida e jogada no meio de tantas balas e cenas coreografadas; e isso funciona muito bem para maioria do público que é levado ao cinema atualmente.

The AccountantO quebra-cabeça que foi o principal para poder tornar o filme em excelente, foi perdido. Um quebra-cabeça que estava tendo cada peça encaixada de forma suave, que logo foi jogado ao vento. Um suspense com tanto potencial que se perdeu junto de personagens muito bons por cair no erro de entrar na mesmice Hollywoodiana. O personagem tinha em mãos um cliente que provavelmente estava sofrendo fraudes dentro da própria empresa e personagens suspeitos por todos os lados, uma contadora jovem e iniciante que descobriu o problema e que então, toda correria para montar o quebra-cabeça, que antes tinha suas peças encaixadas pouco a pouco de forma muito sutil e inteligente, teve seu ritmo para montá-lo bastante urgente, mas não deixa de ser um filme interessante, apesar de ter dois ritmos completamente distintos dentro de si.  Apesar de todo esforço do roteiro de Duburque tentar fazer algo coerente, acaba faltando diálogos e explicações sobre a vida secreta do Contador e todas suas transformações (e a mudança de ritmo), parecendo que falta algumas peças no quebra-cabeça que ele propôs em montar e se não fosse esses buracos de roteiro a mudança de ritmo teria sido muito mais agradável; de certa forma ela começa a ser sentida na metade do filme quando N eventos começam a acontecer, porém com respostas teríamos um roteiro que não daria pontos sem nó.

Querendo ou não, temos um elenco que possui certo peso: J.K. Simmons que teve um papel que digo um tanto pequeno para um investigador e Anna Kendrick que fez a garota animada e perdida na situação (por ter feitos descobertas) sem muitas novidades. Poderíamos dizer que Affleck está com aquela sua cara de sempre, mas devemos concordar que em filme de ação ele manda muito bem e parece que como autista também. Com uma fotografia bastante monocromática e clara na maior parte do tempo e sonoplastia bastante condizente, na parte de produção temos sub produtos muito bons. Acredito que se não fosse a mudança de ritmo do filme e o roteiro com buracos, O Contador teria sido um filme de qualidade extrema no meio de tantas adaptações e filmes de heróis que dão tudo de bandeja pronta para o expectador, apesar do suspense ter durado até metade do filme, sua cabeça tenta encaixar as peças, o que faz a experiência valer a pena de certa forma.

Nota 5/10


279974-jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxxThe Accountant

Lançamento: 20 de outubro de 2016
Duração: 2h 10min
Direção: Gavin O’Connor
Elenco: Ben Affleck, Anna Kendrick, J.K. Simmons, John Lithgow
Sinopse: Desde criança, Christian Wolff  sofre com ruídos altos e problemas de sensibilidade, devido ao autismo. Apesar da oferta de ir para uma clínica voltada para crianças especiais, seu pai insiste que ele permaneça morando em casa, de forma a se habituar com o mundo que o rodeia. Ao crescer, Christian se torna um contador extremamente dedicado, graças à facilidade que tem com números, mas antissocial. A partir de um escritório de contabilidade, instalado em uma pequena cidade, ele passa a trabalhar para algumas das mais perigosas organizações criminosas do mundo. Ao ser contratado para vistoriar os livros contábeis da Living Robotics, criada e gerenciada por Lamar Blackburn, Wolff logo descobre uma fraude de dezenas de milhões de dólares, o que coloca em risco sua vida e da colega de trabalho Dana Cummings.

Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

14 comentários em “Eu assisti • O Contador

  1. Eu não me interessei muito por esse filme quando vi o trailer, porque no fundo do meu coraçãozinho eu já esperava o que você relatou sobre a história. Acreditei que fosse ser um filme de ação genérico, apesar do marketing tentar dizer o contrário.
    E agora agradeço a mim mesma por ter me poupado da frustração de ter comprado a ideia do filme e ido com a expectativa de um suspense.
    Ótima resenha!

    Beijos.

  2. Olá, Carol.
    Quando vi Ben Affleck lá em cima já me interessei. Também amo filmes de suspense, são meus favoritos. Que pena que o suspense terminou na metade do filme. mas ainda assim gostei da dica e vou assistir. Respondendo seu comentário lá no blog. O Nome do livro A Tempestade vem por causa de Shakespeare mesmo hehe.

    Prefácio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *