darkplaces

Resenha: Lugares Escuros

Gillian Flynn
Editora Intrínseca
352 Páginas
Ano 2015

Sinopse
Libby Day tinha apenas sete anos quando testemunhou o brutal assassinato da mãe e das duas irmãs na fazenda da família. O acusado do crime foi seu irmão mais velho, que acabou condenado à prisão perpétua. Vinte e quatro anos depois, quando é procurada por um grupo de pessoas convencidas da inocência de seu irmão, Libby começa a se fazer as perguntas que até então nunca ousara formular. Será que a voz que ouviu naquela noite era mesmo a do irmão?

Sem spoilers, porque isso não é Espilotríssimo.

Só de pensar em ler mais um livro de Gillian Flynn já fico feliz, pois o que está em minhas mãos é um thriller psicológico que vai me fazer quebrar a cabeça com a maestria da autora em levar nossas mentes  para qualquer direção que ela quiser ou que nós mesmos podemos achar.  Depois de ter lido Garota Exemplar e Objetos Cortantes (que são livros de qualidade extremamente grande, porém Garota Exemplar se sobressai) eu fiquei pensando se eu devia colocar expectativas em Lugares Escuros ou apenas apreciar a leitura de todas as formas. Obviamente fui apreciar a leitura, porque uma coisa que aprendi é não ter expectativas e no fim vi minhas curiosidade para tentar desvendar o brutal assassinato da família Day só crescendo a cada página lida.

Falando rapidamente dos personagens, a premissa diz que vamos amar ou odiar Libby, quando na verdade ela é apenas uma mulher sem qualquer tipo de perspectiva depois de 20 tantos anos vivendo de doações devido ao assassinato de sua família. Libby é uma mulher problemática e um pouco vazia em relação a sua vida e sabe que pode ser uma pessoa má quando quer. Ben, o culpado de tudo, seu irmão mais velho, nós o conchemos maior parte de sua personalidade na adolescência em que era um garoto infeliz pela sua situação de vida e bastante nervoso apesar de poder ser gentil algumas vezes. Patty Day, mãe de Libby e Ben é uma mulher que pode ser fraca psicologicamente, mas é muito forte como mãe e protetora.  Lyle é o contador do Kill Club (pessoas obcecadas por casos não resolvidos ou que não foram resolvidos de forma correta)  que vai atrás de Libby, para poder contar sua história e seu personagem é um garoto ingênuo de 20 poucos anos bastante gentil e curioso que quer descobrir tudo tanto quanto Libby e acaba tornando-se um amigo da mesma.

A história se passa em uma cidadezinha no Kansas, que para mim já cheira a problema não importando o livro. A narrativa muda de ponto de vista a cada capítulo, variando com Libby no presente, Ben e sua mãe no passado, nas últimas 48h até o assassinato brutal. A forma como Gillian consegue mostrar Libby no presente, transparece como a personagem é uma pessoa triste e isso nos é passado de acordo com as coisas que ela faz, o jeito que pensa e age durante as partes de seu ponto de vista. Quando estamos lendo nos pontos de Ben e sua mãe, nos damos conta como toda aquela família é problemática, os Days não são pessoas que podemos chamar de estáveis, nenhum deles, principalmente estando tão perto da cabeça de Ben durante sua adolescência revoltada. Gillian explora pontos e pensamentos na parte da narrativa do passado que faz com que o leitor apenas fique mais confuso em tirar conclusões sobre o culpado de destruir a família e todos os motivos ou o motivo de tanto sangue; podemos dizer que temos 5 personagens que vamos sempre ter nossa opinião oscilada, além de pensamentos e ações de todo o conjunto que podemos achar estranho ou algo que seja motivacional, logo lendo também a narrativa no presente, mais confuso ficamos com nossas conclusões conforme Libby vai avançando em sua investigação. Gillian mexe com um tema bastante delicado para época (satanismo na década de 80) e como as pessoas eram paranoicas com qualquer sinal do mesmo, ela consegue por detalhes nas cenas e ações dos personagens que podem cutucar até a parte mais desligada de nossos cérebros.

Conforme o desenrolar da história mais frenética vai ficando a narrativa, no sentido que mais rápido as coisas estão acontecendo porquê o horário do assassinato se aproxima e finalmente saberemos qual a resposta sobre aquela noite e isso ocorre nos capítulos que são de Ben e sua mãe, no presente de Libby, ela começa encaixar as peças e mais perigosa vai ficando sua caçada para se sentir livre do seu passado e tentar deixar Ben livre. O jeito como as peças foram se encaixando no quebra-cabeça, elas ficaram de forma coesa e bastante satisfatória; tirando um ponto que se o plano de um personagem tivesse dado certo, talvez os Days poderiam estar bem e isso me desagradou, fiquei pensando “mas que diabos? what?”. Esse ponto me deixou bastante receosa por uns dias, tentando de alguma forma pensar o que isso estava agregando a história apesar de tudo, Gillian quis fechar esse ponto de uma forma rápida demais e isso acabou fazendo que ficasse um gostinho de desapontamento depois de tantos detalhes bem explorados e fundamentados na narrativa.

Nota 8/10

 

Preferem as informações do livro antes ou depois da resenha, galere?

 

Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

25 comentários em “Resenha: Lugares Escuros

  1. Oi Carol, eu não posso opinar sobre o livro porque eu não li… mas assisti a adaptação para o cinema, com a Charlize Theron e o Nicholas Hoult, e achei bem morna. Você chegou a assistir? O que achou?

    Um beijo :*

  2. Eu preciso confessar, aqui do meu cantinho, que não conseguir ir muito adiante com a leitura de Garota Exemplar. Fiquei mó triste porque vi MUITA gente falando bem, mas não rendeu =(
    Ainda assim a gente se livra dos preconceitos com os autores porque fiquei MUITO curiosa com a história desse livro (ainda não tinha lido sobre ele, só sobre os outros dela). PRECISO SABER SE FOI O IRMÃO DELA OU NÃO! PRECISO SABER COMO ELA VAI LIDAR COM ISSO!
    Acho que ia ser o tipo de livro que ia me deixar sem dormir à noite e mesmo assim vai valer a pena!

  3. Eu assisti ao filme e gostei, apesar de não ter achado tão fabuloso assim.
    A história é interessante, todo o desenrolar pra descobrir o que de fato ocorreu… Mas é isso. Não chega a ser tão surpreendente ou envolvente. É uma boa história.
    Não sei se pretendo ler o livro, mas gostei de sua resenha.
    Beijos

  4. Oi, Carol! Tudo bem? Sou suspeito para falar de Gillian Flynn, pois amo essa mulher. A minha leitura de Lugares Escuros foi simplesmente maravilhosa! Fiquei tão preso a trama, tenso e curioso pra saber o que ia acontecer que simplesmente me tranquei no quarto e li o livro inteiro praticamente de uma só vez. E em português de Portugal! Porque na época, ainda não tinha sido lançado aqui… Amei o livro e sua resenha, embora tenha discordado contigo em alguns pontos.

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    1. Oi tony! Me conta no que você discordou poxa D: Eu sei que sou bem crítica então quero saber UKHDUKSAHDK principalmente por só ler praticamente esse gênero D: me fala

  5. Pq os problemas ficam tudo em Kansar Carol? ahuiahuiahiuahiuah
    A maioria dos livros de terror que eu li se passa na região ..

    Ainda não li esta história dela.. NA VERDADE.. eu só fiquei com Garota Exemplar porque tdo mundo elogiava o livro e no final gostei mais da adaptação do cinema do que livro hihauihaiha

  6. Carol, que resenha completa e magnífica!! Ainda mais considerando o quão difícil deve ser resenhar livros dessa autora, que são tão complexos. Das três obras conhecidas dela, Lugares escuros é o que mais me chama a atenção. A família parece estar passando por um período de escuridão seguido por uma grande tragédia que, aliás, quem afinal provocou?? Fiquei muito curiosa pra descobrir!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

  7. Oi Carol!
    Eu também AMO a Gillian Flynn e, assim como você, também leio os livros dela com essa certeza de que tenho em mãos um thriller excelente. Claro que nenhum supera Garota Exemplar, mas eu gostei de Lugares Escuros. Ainda assim, entendo porque você se decepcionou um pouquinho.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

  8. Oie Carol =)

    Sempre leio boas resenhas dos livros da autora, mas confesso que não sinto aquela curiosidade em ler nada dela. Até gosto de livros que tenham esse toque de suspense, mas infelizmente não consigo me sentir atraida pelas história da Gillian.

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

  9. Eu absolutamente ADORO livros do gênero! Ainda não tive oportunidade de ler nada da autora, mas a vontade é muita. Garota exemplar fez um sucesso imenso e imagino que esse livro siga pela mesma linha. Toda obra literária que envolve esse lance de suspense com lances psicológicos me encantam muito!

    beijo
    beinghellz.com

  10. Ai guria, eu estou há um tempo com esse livro me esperando no kindle e ainda não li. Já fiquei com vontade de começar agora mesmo, pois eu gostei muito dos outros dois que você mencionou. Acho que uma das coisas que me segurou até agora para ler foi o fato de ter visto, sem querer, um filme adaptado, MAS eu sei que o livro deve ser absurdamente melhor.
    Beijos!

  11. Oi Carol, tudo bem?
    Então… Eu não curto muito esse estilo de livro, esse lance de tensão, coisas estranhas e tal. Primeiro que sou medrosa e segundo que não consigo ler mesmo. E digo isso porque já fiz várias e várias tentativas nestes anos todos de leitora. rsrsr
    Eu assisti Garota Exemplar e achei o filme chato, sei lá não curti, por isso nem fiquei a fim de ler o livro, mesmo com tantos elogios. Tua resenha ficou maravilhosa, bem explicada, com os pontos principais e sem spoilers, o que é ótimo.
    Bjus
    Lia Christo
    http://www.docesletras.com.br

  12. Oi, Carol

    Sabe que até hoje eu não li nenhum livro da autora. Eu assisti a adaptação cinematográfica de Gone Girl e amei, mas fiquei me remoendo por dias por não ter lido o livro primeiro. Se amei o filme, fico imaginando o quanto gostaria do livro. Aí estou esperando a história esfriar na minha cabeça para poder ler, mas já faz mais de um ano e ainda lembro do filme como se fosse ontem! –*

    Sobre o livro da postagem…o que há de errado com o Kansas? hahaha E não sabia que havia satanismo envolvido. Vou tentar ler um outro livro dela enquanto espero Gone Girl esmaecer!

    Beijo
    – Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

  13. Vou começar pela pergunta do fim: eu gosto mais das informações do livro antes da resenha :)
    Então, eu já tinha visto este livro por ai, mas como te disse uma outra vez, odeio terror, ai acabei nem vendo muito para não me assustar, mas pelo que você contou ele realmente parece muito mais um suspense do que algo feito para assustar, né?
    Achei que deve ser muito bom… certeza que vou comprar! :D

    Beijão Carol!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *