resenha9

Resenha: Divertida Mente

A Pixar conseguiu fazer com que a gente delirasse com suas animações ao longos dos anos com personagens muito cativantes e histórias lindas: quem vai se esquecer da Boo chamando o gatinho? Ou a relação de pai e filho, em Procurando Nemo? Ou quando há 20 anos, Toy Story chegou aos cinemas para literalmente revolucionar? Bom galere, digo que essa Pixar voltou depois de uns anos de filmes de sucesso, mas nada tão marcante.

Escrito por Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley, Divertida Mente é um filme abstrato e regido de forma inteligente e habilidosa. Se o roteiro não fosse tão bom, talvez seria apenas mais uma animação no cinema. Mais emocional que muito filme adulto por aí e com mais mensagens que outros clássicos, Divertida Mente pode ser infantil, mas psicologia é o que não falta em seu conteúdo. Não é para menos, a história se passa dentro da cabeça de Riley, em que acompanhamos Alegria, Nojinho, Medo, Raiva e Tristeza no seu dia a dia. Cada emoção possui seu jeito demonstrado da forma mais literal devido o público infantil, mas ainda assim, cada personagem tem um aprofundamento extremamente bem feito. Sabe, eles são eles, sem mais.

E o melhor disso que a Pixar conseguiu transformar algo totalmente abstrato e desconhecido por nós em algo visual e muito bem planejado, cada detalhe de como pode funcionar nossa cabeça, como nossas emoções estão presentes em cada segundo de nossas vidas.

resenha9_3

Como falei antes, tem muita psicologia em Divertida Mente e questões estudadas pela ciência. Porque esquecemos as coisas, como nós somos nós, como formamos nossa personalidade, como os sonhos se formam… e a Pixar conseguiu desenvolver isso para nós! Pode não parecer, mas o filme cita depressão e nos mostra ela, mas também nos mostrando como lidar com ela de forma meiga: chore sim e isso faz com que a gente perceba para não transformarmos a tristeza que aparece no nosso dia se tornar a vilã, pois na vida a gente sempre dá um jeito quando lembramos que podemos ter outros momentos de alegria. Por isso devemos chorar para aliviar e devo dizer que se você quer aliviar, Divertida Mente tem momentos muito emocionantes que fez com que eu escutasse muita gente limpando o nariz no cinema.

resenha9_2Apesar de termos as cinco emoções, o foco do filme vai para Alegria e Tristeza que são antagonistas e durante o decorrer da trama, devem aprender a trabalhar juntas e conviver ao serem expelidas da sala de controle da mente de Riley e então a garota entra em confusão total. Nessa busca pelo caminho de volta para mente de Riley, Tristeza e Alegria passam por diversos lugares dentro da cabeça da garota, fazendo com que o espectador imagine que talvez podemos ser daquele jeito. A Pixar fez um ótimo trabalho com analogias durante esse caminho por dentro do cérebro humano.

Talvez seja um filme que os adultos vão gostar muito mais que os pequenos, porém vai divertir ambos sem problema com várias cenas engraçadas que possuem piadas bem feitas ou por serem inteligentes, vamos nos emocionar com lembranças da vida Riley e quando percebemos já estamos absorvidos pela trama da história, literalmente dentro da cabeça de Riley. Divertida Mente é também um filme de detalhes delicados, como por exemplo as ilhas de personalidade, os jornais que Raiva às vezes aparece lendo.  Assisti em 2D sem problema nenhum e em inglês, devo dizer que a dublagem ficou perfeita!

Ousado, diferente e bem feito: Divertida Mente é um filme que se assiste com gosto e muito gosto. Fazia tempo que eu não saia do cinema satisfeita.

 

Nota ESPILOTRÍSSIMO/10

 


resenha9_1Divertida Mente (Inside Out)

Lançamento em 18 de junho de 2015 (1h35min)
Dirigido por Pete Docter
Com Amy Poehler, Bill Hader, Mindy Kaling, Lewis Black, Phyllis Smith, Diane Lane, Kyle MacLachlan e Richard Kind .

Sinopse
Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle – e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.

 


 

Oi gente! Resenha atrasada :p E bom, semestre da faculdade tá pesado >.> e ainda tem o trampo, então se eu sumir, já sabem


Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

30 comentários em “Resenha: Divertida Mente

  1. Amei a sua resenha!!! Explorou muito bem!
    Fiquei com muita vontade de ver o filme… Adoro todos que citou no começo do post.

    Fico muito animada com esses filmes que cativam tanto adultos quanto crianças (sou os dois kk) e acho super importante abordar esses temas como sentimentos de uma maneira divertida!
    Viva a Pixar haha õ/

    Beijão
    http://www.allyarruda.com.br

  2. Oie Carol =)

    Ainda não assisti a esse filme, mas li e ouvi tanta coisa a respeito que parece que que já assisti e gostei rs…
    Não vejo a hora de conferir pessoalmente se vou gostar dos personagens como já gosto mesmo sem tendo assistido ao filme.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

  3. Pixar é rainha quando o assunto é fazer a gente se importar com personagens, sério. Chorei a vida por causa de um monte de brinquedos e agora vou me emocionar um monte por conta de sentimentos! HAHA, adoro as sacadas deles, são muito espertos em fazer filmes e roteiros que agradem crianças e adultos – e acho que é aí que reside a magia da Pixar. Os filmes deles não são para uma faixa etária específica, é pra todo mundo que adora uma história bem contada. Adorei tua resenha, Carol! Me deixou ainda mais curiosa pra assistir ao filme. Um beijo!

  4. É o tipo de animação que deve ser vista mais de uma vez.. Sempre tem um detalhe! Sai do cinema apaixonada pela história e pelos personagens (principalmente a tristeza rs).

    Carol, o Livro do Star Wars (na versão Shakespeare) comprei na Submarino é da Qirk Books ^^
    Beijos

  5. Salve, salve Carol!
    Olha, na minha humilde opinião fazia um tempinho que a Pixar não fazia um filme tão grandioso, ainda que eu odeie admitir porque eu adoro Valente.
    E assim, Divertidamente tem uma pegada muito original e que foi trabalhado de uma forma muito bem feita, tipo o filme parece que brinca consigo mesmo. Aquela parada da musica que fica voltando foi genial.
    E ainda por cima tem a sensibilidade né, que vi compararem com UP, mas UP sendo mais como um soco na cara por te fazer chorar. Você disse tudo do filme mesmo Carol, ótima resenha, o filme consegue tratar de coisas complexas com uma simplicidade tão grande que é pra se ficar impressionado.
    bjos LP
    quatroselos.blogspot.com

  6. Oi, Carol! Tudo bem? É unânime o quanto esse filme é excelente! Todo mundo diz a mesma coisa: Que ele é muito bom e tal… Isso só faz com que eu o queira assistir o mais rápido possível! Recentemente eu comecei a jogar um joguinho desse filme e já estou encantado com os personagens, espero ver o filme logo! Adorei o post! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/2015/08/resenha-premiada-johnny-bleas-um-novo.html <- Tá rolando promoção do livro "Johnny Bleas – Um Novo Mundo" lá no blog! ;)

  7. Animações são meu fraco, então sou muito suspeita para falar. Mas depois de todas as resenhas positivas, eu percebi que não sou só eu a achar que a Pixar está trilhando seu caminho de volta para desenhos como Monstros S.A. (Que só pra deixar guardado: preferido da vida <3)
    Divertida Mente é surpreendentemente inteligente, e encontrou o equilíbrio entre teorias malucas e interessantes sobre a psicologia humana e a diversão para a família. Simplesmente amor com esse filme!

    http://eujovemdemais.blogspot.com.br/

  8. Oieee
    Quero muito ver esse filmeee *0* Comecei a ver, mas por causa da correria não acabei. Achei uma graça, além de amar a Tristeza achei ela tão fofaaaaaa
    A Pixar tem umas animações incríveis ;p
    Beijinhos Screepeer
    Screepeer

  9. PRECISO comentar nesse post também porque amo a Pixar com todas as forças!
    Inside Out foi uma grata surpresa. Claro que eu estava esperando um filme bom, porque a Pixar raramente decepciona (é com você mesmo o problema , Carros 2), mas imaginei que veria uma comédia. Passados alguns minutos eu já tinha percebido que não seria bem uma comédia, e quando chegou na cena do Bing Bong eu desabei. Chorei muito com essa cena e com quando elas voltam pra sala de de controle, meu Deus!
    Ainda assim, o filme proporciona momentos maravilhosos de comédia (http://youtu.be/AHArCl_fPm0).
    Como não amar esse estúdio maravilhoso de animação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *