capa5

Resenha: Crimes Ocultos

Sem spoilers, porque isso não é Espilotríssimo.

Aproveitando a estreia de Mad Max, logo na semana seguinte tivemos Tom Hardy como um oficial do governo stalinista em Crimes Ocultos. Diferente do primeiro filme citado em que Tom ficará marcado pelo sucesso, esse será facilmente esquecido apesar de ser uma ótima história (adaptação do livro Crianças 44, best-seller de Tom Rob Smith), foi uma adaptação sem graça. Pode ser clichê por ser mais um filme de guerra e pós-guerra, mas se não fosse por erros de direção e produção, creio que teria sido um ótimo filme.

Como o título do filme diz: Crimes Ocultos. Temos um filme com muitas coisas ocorrendo ao mesmo tempo: roubo de cargo, traidores no meio da população e mortes de crianças. No paraíso não existe assassinatos. No governo socialista não existem assassinos, psicopatas… isso é produto do ocidente.  O filme mostrou muito bem de como aquela época era um nojo e horrível.

cena-de-crimes-ocultos-1432074804345_956x500As coisas do filme começam a andar lá para mais de uma hora, quando o verdadeiro foque da trama finalmente começa, quando Leo Demidov (Tom Hardy), um investigador importante da polícia recebe um nome para investigar e ao mesmo tempo o governo cobre o assassinato de um garoto que é filho de um amigo de Leo. Bom, dá para sacar que Leo entra onde não se é chamado, depois nisso já temos os personagem de Tom Hardy e Noomi Rapace correndo por aí de oficiais horríveis e tentando entender o que está acontecendo, depois são expulsos de Moscou ea cidade para qual são mandados é achada outra criança morta, logo Gary Oldman entra em ação com um papel pequeno. O elenco era de peso, mas com papéis rasos.

A fotografia do filme é extremamente escura, tanto que no cinema algumas cenas ficaram confusas, apesar da ótima direção de arte e figurino que fez a gente quase acreditar que tudo era real, tirando o sotaque dos artistas que ficou engraçado, aí a magia acaba! Trilha sonora fez seu papel, mas nada de excepcional.

A trama é muito interessante, o elenco é ótimo (fui assistir por eles) e no fim, não funciona. Fiquei bem incomodada com a direção de Espinosa que tinha algo muito bom em suas mãos e fez mais do mesmo. Deixou o filme lento demais, cenas desnecessárias, atos desnecessários, o ritmo foi ruim (apesar de momentos de tensão) e todo o trabalho sendo jogado fora, pois se o ritmo do filme tivesse sido melhor trabalhado, teria saído algo extremamente diferente e muito melhor, mas não foi o caso.

Nota 5/10

 

postermeh Crimes Ocultos (Child 44)
Lançamento 21 de Maio de 2015 (2h18)
Dirigido por Daniel Espinosa
Com Tom Hardy, Noomi Rapace, Gary Oldman

Sinopse
Durante o governo stalinista na U.R.S.S, um oficial da segurança ouve falar de um país onde o número de assassinatos de crianças é muito alto, a ponto de se considerar a existência de um serial killer. O Estado não quer saber do caso, que pode ter conexões com altos funcionários do governo, e exila o oficial para que ele não possa prosseguir com a análise dos fatos. No entanto, este homem obstinado decide chamar a sua esposa para investigarem o caso por conta própria.

 


Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

8 comentários em “Resenha: Crimes Ocultos

  1. Olá Carol!
    Nunca assisti o filme, mas a sinopse e o trailer realmente dão a entender que ele é algo incrivelmente bom. Mesmo sendo clichê, a temática guerra é algo que me seduz bastante, seja em um filme, um livro, ou uma série, e acho que com esse não seria diferente. Porém, vendo sua resenha, devo admitir que fiquei com um pouquinho de medo. É irritante quando uma premissa legal cai nas mãos de alguém que não soube desenvolver. ;-;

    http://eujovemdemais.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *