menina

Resenha: A Menina Submersa – Memórias

capa-menina-limitedCaitlín R. Kiernan
Editora DarkSide® Books
320 Páginas
Ano 2015
Versão Limited Edition

Sinopse
Com uma narração intrigante, não linear e uma prosa magnífica, Caitlín vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do thriller psicológico.

 

Sem Spoilers, porque isso não é Espilotríssimo

Minha curiosidade sobre esse livro transpassava qualquer uma que eu já possui antes sobre qualquer leitura e isso sem ao menos ler a sinopse, apenas fui hipnotizada pelo título e tudo o que ele poderia significar. A última vez que isso aconteceu comigo foi com Garota Exemplar, simplesmente comprei e virou apenas meu livro favorito de todos os tempos e devo dizer que  A Menina Submersa não me decepcionou e me trouxe uma leitura que jamais esperaria.

Com uma narrativa intrigante sem qualquer tipo de linha cronológica ou até mesmo lógica, você lê as palavras de India Morgan Phelps, ou Imp, a garota que nos conta suas memórias nos últimos possíveis dois anos ou meses, nem ela sabe. Caitlín nem parece mesmo a autora do livro, mas sim a própria personagem que vai escrevendo sem qualquer tipo de organização, apenas despeja as palavras para se libertar de seus fantasmas. Imp escreve de forma confusa e toda hora se interrompe falando consigo mesma, lembra de memórias aleatórias devido a algo que está contado, nos mostra seus contos para serem lidos, comenta sobre arte e artigos de um pintor que mexeu com ela profundamente. A Menina Submersa é um romance cheio de camadas, tanto psicológicas, mas também como do real e do imaginário, das memórias e os acontecimentos da vida de India que mexeram com ela tão profundamente, como também os mistérios e as coisas horríveis que sua doença mental pode trazer.  Com um trabalho incrível, Caitlín nos guia através de Imp para a construção de toda história e o que ela quer nos passar. Tantos assuntos são colocados em pauta pela garota que quer matar seus fantasmas, não sucumbir a maldição de sua família, suas paranoias, entender ela mesma e seu relacionamento,  que o leitor acaba adquirindo um pouco de esquizofrenia também durante esse romance dark.

A nossa protagonista e narradora, India, parece ser uma garota doce e é isso que você vai pensar dela, porque não existe um mal nela, apenas a maldição da familia Phelps, filha e neta de mulheres esquizofrênicas que se suicidaram e mostra como a personagem quer lutar contra tudo, mesmo o quão difícil possa ser. Os personagens que são inseridos durante a trama, que fazem parte da vida de Imp são peças-chaves para suas lembranças e entendimentos para que ela consiga se libertar. Peças que até mesmos nós leitores resolvemos usar de recurso para tentar definir o que é o real e o imaginário. Acredito que um dos pontos mais forte do livro seja a intensidade que conseguimos sentir India e seus sentimentos, há momentos que podemos nos sentir tão perdidos ou surtados quanto ela e isso torna a personagem extremamente real.

O livro possui a mais diversas referências do real e do imaginário, dos contos de fadas, serias e licantropos, como também as obras de Philip George Saltonstall e Abertl Perrault que pintaram quadros que mexeram profundamento com nossa personagem. Temos passagens do livro que lembram H.P. Lovecraft e as bizarrices de Tim Burton e tudo de forma que você se pergunta qual é a veracidade. A Menina Submersa é um livro único, não só em sua edição limitada que é extremamente linda, mas o seu conteúdo em si. O livro pode parecer difícil e muito confuso no início, mas você não espera seu desenrolar, você se confunde, enrola e desenrola junto e a todo momento com India, tornando cada memória nova e descoberta muito mais viva.

 

Nota 10/10

 

Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

27 comentários em “Resenha: A Menina Submersa – Memórias

  1. Oi Carol,
    Ah, esse livro está na minha lista. Linda sua resenha, dá pra conhecer belos traços da personagens pelas suas palavras e fiquei bem empolgada.
    Gosto bastante do sick-lit, mas minha mente precisa sempre de um preparo básico para esse gênero.
    E nossa, o livro tem capas opcionais? Darkside sempre arrasando.
    Ainda não pude adquirir nenhum livro deles, só fico babando nas fotos e resenhas dos blogs haha

    tenha uma ótima semana ♥
    Nana – Obsession Valley

  2. Olá, Carol.
    Que bom que gostou tanto do livro. Eu infelizmente só gostei da edição. Achei o livro sem pé nem cabeça e pouco entendi da história hehe. Mas a edição e principalmente a capa são lindas hehe.

    Blog Prefácio

  3. Tim Burton nos seus melhores dias, né? Pq ultimamente ele está me decepcionando…
    Mas este livro é maravilhoso! Nossa, eu fiquei muito agoniada junto com a India… adoro quando um livro nos traz sensações reais assim.
    Realmente, muito digno do seu 10/10!

    Beijos!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

  4. Oie Carol =)

    Já li algumas resenhas desse livro. Umas bem positivas como a sua e outras nem tanto. Confesso que a premissa em si nunca me chamou muito a atenção, mas conforme as resenhas negativas foram saindo perdi o pouco interesse que tinha na obra.

    Talvez um dia eu leia, mas no momento não é o tipo de livro que busco.

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

  5. Olá minha flor! confesso que também não sou tão chegada ao croché mas “digamos” que esse amor justamente surgiu por causa do meu brechó, que é comum ter peças desse tipo de material =D
    e falando sobre resenhas de livro, eu já ouvi falar dessa Menina Submersa e sinceramente não sei o que estou esperando para ler kkkkkk vai entender né…. Volte sempre <3
    cosgothic.blogspot.com.br/

  6. Oi Carol, tudo bem?
    Esse livro parece ser bem profundo e complexo. Anotei a dica, mas vou tentar ler em um momento mais propício. Essas edições da Darkside são maravilhosas, dá gosto de ter esse livros na estante.

    Abraços,
    Amanda Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *