novoano

Mãos à obra, 2017

É a primeira vez que decido fazer um post que tenha relação com o período que estamos vivendo, no caso data, depois de tantos anos de blog. Nunca me senti uma pessoa adequada para falar sobre já que nunca me importei com isso (com a virada de ano) mas no fim vejo que apesar de entender isso como uma talvez chance de recomeçar, vejo isso de forma diferente hoje, forma que digo que estou virando ou terminando um capítulo de um longo livro e que tenho chance de ver um novo desenrolar na narrativa. A vida inteira comemorei pouquíssimas vezes o Ano-Novo e nunca me senti confortável com isso, nunca realmente vi toda essa celebração como algo que me deixasse feliz, eu apenas fazia cara feia depois das 00h01 ou voltava a jogar. Sei lá, sempre vi como mais um dia e assim continuaria sendo.

Não posso dizer que nunca tive um ano difícil, pelo contrário, já tive vários, mas acho que apesar de não ligar para “2016 foi O ano”, devo admitir que metade dele foi um tanto quanto difícil em diversos sentidos, mas que se não fosse a internet e o amadurecimento da minha geração e seu interesse maior em diversos assuntos, acredito que seria um ano igual a qualquer coisa, mas como estamos conectados o tempo todo esse é o resultado que temos e que fez 2016 o ano mais chato nas rede sociais (brincadeiras à parte) e um ponto forte também, apesar de ter passado maior parte do tempo dando share em memes, pois memes é vida.

Aconteceram coisas que eu não esperava, como ter meu blog top em várias buscas de reviews, como ter terminado toda parte prática do meu TCC em menos de um mês (a parte escrita praticamente fiz em 2 semanas no começo do semestre) e ter saído com honras e um dez, ter conhecido meu namorado que pensei que iria ser só um carinha ali que eu não iria dar bola, mas na verdade é o melhor acontecimento do ano para mim,  ter feito minha primeira viagem internacional e ainda por conta, além das pessoas importantes que me deram apoio e inspiração. Apesar de todas minhas recaídas criativas, frustrações criativas,  sintomas depressivos para todo lado com todos os tipos de pensamentos possíveis: eu estou aqui. Logo isso me fez pensar que  aprender com todo de ruim de 2016 depois tirar o aprendizado e deletar as coisas ruins às 00h01 seria a melhor coisa; então tive a ideia de planejar meu 2017 com uma agenda, nanquim e canetas coloridas para eu ter o foco correto dessa vez, não tentar fazer tudo que dá para fazer porquê preciso fazer, mas porquê quero fazer e o verbo “querer” será a palavra mais importante para mim, pois querer é poder, não é mesmo? Quero ser uma puta artista com potencial que sei que tenho, a especialização intensiva que fiz depois de me formar me mostrou isso. Quero fazer parte dos aristas brasileiros que são convidados para CCXP, porque não? Quero ter meu blog crescendo com a qualidade que sei que vocês gostam. Quero viajar. Quero voltar a ser autodidata. Quero ter minha saúde 100%, pois não aguento mais ir em hospital. Quero aprender a relaxar. Quero crescer.

O que pode ter feito muitos chorar, brigar, ficar nervosos ou rir em 2016, me fez pensar que estava vendo as coisas de forma errada e que de fato devo começar um novo livro que é minha vida no Ano-novo, talvez me dê realmente o sentimento que estou começando algo novo e que vou fazer as coisas acontecerem e sei que vai ter altos e baixo, mas o negócio é não se abalar né? É difícil eu sei, mas é só lembrar de respirar. E relaxar.

Obrigada a todos vocês que curtem passar no blog e gastar uns minutinhos lendo minhas postagens, sem vocês, o que seria eu? E um bom ano para todos.

Carol

Designer, character designer, costume designer, ama comida, taurina, gamer, cinéfila, bookaholic, chata.

Comente com Facebook!

28 comentários em “Mãos à obra, 2017

  1. Olá!

    2016 foi muito pesado, e ao mesmo tempo, muito construtivo. Comparo 2016, ao livro do meio, aquele livro chato, onde tudo de ruim que tinha pra acontecer na vida dos personagens acontece, porém, eles sempre estão amadurecendo, crescendo e valorizando mais cada alegria, e no fim, todos comemoram no final do livro. Feliz 2017!
    Beijos,
    https://teattimee.blogspot.com.br

  2. Oi Carol. É a primeira vez que venho no seu blog, achei o layout lindo demais (só um adendo hehe).
    Olha, eu também nunca me liguei muuuito em virada do ano, então acho que super te entendo, mas 2016 foi tão tenso que eu não pude deixar de ficar feliz e encarar como uma nova chance (de verdade) de recomeçar.
    Espero que seu 2017 seja bom, e que o seu desenvolvimento como artista seja sensacional (seus desenhos bem legais, dei uma olhada na sessão “arte” e “desing” (só senti falta de uma coisa: dos desenhos “computadorizados”, não sei bem como chama isso haha, mas aqueles com carinha de pintados no pc, sabe?) ).
    Feliz 2017, Beijos!

      1. Acheeei haha verdade. Eu tinha olhado no Instagram, dai como não encontrei lá, achei que não tinha. São lindos também! Você participou ilustrando Cidades perdidas também? Vi no portifólio e achei incrivel. Serio. Tá de parabeens.

  3. Olá, Carol.
    O ano foi bem dificil pra mim porque perdi meu pai e também tive vários problemas de saúde. Mas estamos vivas e com certeza vamos lutar para que esse ano seja bem melhor. É só querer hehe.

    Prefácio

  4. Te entendo totalmente hahaha continuo tentando entender tamanha alegria na virada de ano, só de pensar que vai começar tudo outra vez me da um nervoso kkkkkk (desculpe a minha loucura rs) feliz ano novo atrasado ^^
    cosgothic.blogspot.com.br/

  5. Oi Carol, tudo bem?
    Feliz ano novo!!!! Seu blog se tornou um de meus favoritos nesse ultimo ano. Fico feliz que apesar das complicações você teve muitas coisas boas no ano passado. Te desejo um 2017 ainda melhor e que esse ano seja repleto de coisas boas pra todo mundo.
    forte abraço.
    Amanda Almeida

  6. Feliz ano novo atrasadinho, xará! Antes eu comemorava a entrada do ano com esperança e alegria, até colocava aquelas pulseiras que você faz desejo e só pode tirar quando forem realizados, sabe? kkkk depois de tanta bobagem e nada acontecer eu parei com a empolgação. Essa virada foi só um “ok, vamos ver no que dá”.
    Adorei o seu texto, foi muito inspirador! Acontece que a cada ano, com toda a mágoa, choro e risada que nós damos, nós vamos crescendo e aprendendo. Talvez não seja exatamente do jeito que esperamos, mas lá na frente isso vai fazer diferença. E eu espero que 2017 te traga muita alegria, paz, saúde, e sucesso pro blog!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

  7. Mulher, eu não te conheço mas fiquei com um sentimento de orgulho lendo essa postagem. Sério. Sinto muito pelas partes ruins, mas seus momentos bons desse ano foram tão legais, especialmente esse senso de “vou atrás do que eu desejo”.
    E preciso dizer que sim, você tem potencial, talento e tudo mais para ser uma artista incrível e renomada. De verdade.
    Espero que esse ano traga coisas ainda melhores para você <3

    Beijos,
    Bi.

    http://www.naogostodeunicornios.com

  8. Muito boa a reflexão! Mas me parece que aconteceram várias coisas boas em 2016 e ou pelo menos muitos aprendizados! Que em 2017 seja ainda melhor e consiga todas tuas metas :)

  9. Eu também não consigo escrever muito sobre a época do ano, a não ser que sinta que preciso dizer algo sobre aquilo. Esse foi um ano que eu não publiquei nem em redes social sobre o ano novo. Acho que no fim das contas seu ano teve muitas coisas boa também, que bom que tu conseguiu ver os dois lados e não foi como muita gente que enxerga só os problemas e ignora ou não pesa as coisas positivas.

    http://www.cupidobrega.com.br
    Canal no YouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *